quarta-feira, 17 de junho de 2009

Talentos desperdiçados


Em defesa dos responsáveis por pequenos e grandes assassinatos do idioma, costuma erguer-se um argumento tão farisaico quanto a “legítima defesa da honra” invocada no julgamento de crimes passionais: ele não sabe escrever, mas apura bem”, repetem os devotos do compadrio nas redações. Não seria má idéia transferir para as delegacias de polícia jornalistas que apenas investigam. O Brasil pode estar perdendo bons detetives.


Augusto Nunes
In: Manual de ética redacional e estilo: organização de Zero Hora (Porto Alegre, L&PM, 1994).

2 comentários:

Anônimo disse...

Prezado Manoel,

Só uma dica: a palavra ideia não mais tem acento, ok.

Manoel Almeida disse...

Valeu pela dica, amigo, mas as duas formas são válidas.

Como somente a partir de 2012, pelo menos, é que as novas regras serão obrigatórias, optei por manter o acento do texto original.

Abraços e muito obrigado por prestigiar nosso espaço.